Domingo, 21 de Julho de 2024
11°C 26°C
Hortolândia, SP

Deputados aprovam o texto principal da reforma tributária com limitações no IVA

A adição de carnes no kit de alimentos essenciais foi aprovada com grande destaque.

11/07/2024 às 13h00
Por: maurilio fernandes
Compartilhe:
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Com 336 votos a favor, 142 contra e duas abstenções, o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, no dia de hoje, o projeto de lei complementar que estabelece as novas regras para a reforma tributária sobre o consumo. A nova versão do texto apresenta um limite para a alíquota do futuro Imposto sobre Valor Adicionado (IVA), inclui medicamentos na relação de produtos com imposto reduzido e amplia a lista de produtos da cesta básica isentos de impostos. A proposta seguirá agora para ser avaliada pelo Senado Federal.

Com destaque especial, carne (de toda variedade), frutos do mar, laticínios e sal entraram para a lista de alimentos isentos. A aprovação do destaque para isentar as carnes e as proteínas de origem animal contou com 477 votos a favor, três contra e duas abstenções, após a proposta do PL, principal partido oposto.

Mesmo sendo proposta pela bancada ruralista e pela indústria de alimentos, a isenção foi aprovada pelo relator do projeto de lei, deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) e comemorada pela líder do PT na Câmara, deputada Benedita da Silva (RJ). "Para o presidente Lula sempre foi uma prioridade garantir que houvesse proteína na cesta básica das pessoas mais necessitadas", afirmou a deputada.

Continua após a publicidade
Anúncio

De acordo com a comunicação oficial do governo, a carne estava incluída na relação de mercadorias com redução da alíquota para 40% do valor inicial, resultando no pagamento de 10,6% ao invés de 26,5%. Contudo, a partir de agora, a alíquota será zerada.

Antes dos produtos cárneos e lácteos, o relator decidiu acrescentar de última hora óleo de milho, aveia e diversos tipos de farinhas na cesta básica nacional, que ficarão isentos de IVA. Além disso, foram incluídos pão de forma e extrato de tomate nos itens com imposto reduzido. Antes da votação sobre a carne, a Câmara rejeitou dois destaques, um que propunha benefícios para a construção civil e outro que pleiteava a inclusão de armas e munições na cobrança do Imposto Seletivo.

Lopes ampliou ainda mais a relação de remédios com desconto de 40% sobre o valor total. A proposta inicial do governo mencionava 343 substâncias isentas de impostos e 850 com desconto. No entanto, a versão aprovada expandiu a lista de descontos para todos os medicamentos registrados na Anvisa e para os produzidos em farmácias de manipulação.

Respondendo às demandas das mulheres parlamentares, o relator decidiu adicionar o Dispositivo Intrauterino (DIU), um tipo de contraceptivo, à relação de equipamentos médicos com redução de IVA. Antes, Lopes havia incluído produtos de higiene menstrual, tais como absorventes, tampões, copos menstruais e calcinhas absorventes, na relação de itens tributados com taxa normal, ao invés de alíquota reduzida conforme proposto inicialmente.

Continua após a publicidade
Anúncio

Cashback e imposto seletivo

O sistema de cashback, que consiste na restituição de impostos para a população de baixa renda, também sofreu alterações. O projeto inicial propunha a devolução de 100% da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS, imposto federal) e 20% do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS, tributo estadual e municipal) na aquisição de gás; 50% da CBS e 20% do IBS no pagamento das faturas de luz, água e esgoto; e 20% da CBS e do IBS sobre os demais produtos. A versão aprovada aumenta de 50% para 100% a restituição da CBS nas contas de energia elétrica, água, esgoto e gás natural.

No derradeiro momento, o parecerista adicionou o carvão mineral à relação de mercadorias sujeitas ao Imposto Seletivo, tributo que será cobrado sobre produtos prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. No entanto, Lopes ampliou a taxa máxima de 0,25% para todos os minerais extraídos, e não somente para o minério de ferro, como indicado na versão anterior do documento. A emenda constitucional estabelece em 1% o teto para o Imposto Seletivo.

No informe mais recente, publicado na última semana, veículos elétricos e jogos de azar (tanto presenciais quanto online) foram incluídos na relação de mercadorias com Imposto Seletivo. Contudo, armamentos e cartuchos de munição foram deixados de lado, mesmo diante de protestos de organizações da sociedade. Mesmo sendo movidos a diesel e causando alta emissão de poluentes, os caminhões também estarão isentos do tributo.

Alíquota travada

Ontem (9), o ministro da Economia, Fernando Haddad, afirmou que se a carne fosse adicionada à lista de itens isentos, o imposto sobre o valor agregado (IVA) aumentaria em 0,53 ponto percentual, elevando a alíquota média de 26,5% para 27,03%, tornando-a a mais alta do mundo para esse tipo de tributação, superando a da Hungria, que possui 27%. De acordo com o Banco Mundial, o impacto seria de 0,57 ponto percentual.

Os parlamentares optaram por fixar a alíquota em 26,5% a partir de 2033, ao término da transição dos impostos vigentes para o IVA. Com a restrição do imposto futuro, o governo sofrerá quedas na arrecadação a longo prazo. Segundo o documento aprovado, caso a alíquota ultrapasse o limite estabelecido, o governo teria que trabalhar em conjunto com o Comitê Gestor do IBS para criar um projeto de lei complementar contendo medidas para reduzir a carga tributária.

O bloqueio agora é mais rígido do que o estabelecido na emenda constitucional da reforma tributária, aprovada em dezembro do ano passado. A emenda constitucional estabelece um limite para impedir o aumento da carga tributária do país (medida pela relação entre a arrecadação de impostos e o Produto Interno Bruto) em comparação com a carga atual, o que poderia permitir ao Congresso criar exceções e regimes especiais, em troca do aumento da alíquota total de 26,5%. A nova restrição incluída na regulamentação limita a média da alíquota do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), fazendo com que o governo seja obrigado a reduzir a carga tributária no futuro.

Planos de saúde e turismo

O texto aprovado agora possibilita que as organizações obtenham benefícios fiscais de planos de saúde em grupo conforme o estabelecido em acordo, algo que não era permitido na proposta original. Além disso, foi adicionada a possibilidade de inclusão de planos de saúde para pets, com uma redução de 30% na alíquota.

Além disso, os parlamentares acrescentaram um sistema de reembolso de impostos para visitantes de outros países que adquirirem itens no Brasil e levarem consigo na bagagem. Essa prática é comum em várias nações, desde que o montante total dos produtos exceda um determinado valor.

O projeto de lei aprovado agora classifica como improbidade administrativa a falta de devolução de créditos tributários (parcial reembolso de impostos que evita a cobrança em cascata) às empresas dentro dos prazos determinados. Nessas situações, tanto o secretário da Receita Federal quanto o presidente do Comitê Gestor do IBS serão responsabilizados.

A proposta prevê um prazo máximo de um mês para a quitação de débitos pelos contribuintes participantes de iniciativas de regularização, até dois meses para valores dentro da média mensal do contribuinte e até seis meses para os demais cenários (débitos acima ou abaixo da média mensal da empresa).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Hortolândia - SP
Sobre o município
Hortolândia é um município brasileiro no interior do estado de São Paulo. Localizado na Região Metropolitana de Campinas, a cerca de 110 km da capital do estado. Ocupa uma área de 62,224 km², sendo que 24,5341 km² estão em perímetro urbano e os 37,7 km² restantes constituem a zona rural. De acordo com o Censo 2022, a cidade tem 236.641 habitantes.
Ver notícias
Hortolândia, SP
24°
Tempo limpo

Mín. 11° Máx. 26°

24° Sensação
2.57km/h Vento
46% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h47 Nascer do sol
05h43 Pôr do sol
Seg 28° 14°
Ter 28° 14°
Qua 29° 14°
Qui 31° 15°
Sex 32° 16°
Atualizado às 19h03
Economia
Dólar
R$ 5,60 +0,00%
Euro
R$ 6,10 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,63%
Bitcoin
R$ 404,844,99 +1,23%
Ibovespa
127,616,46 pts -0.03%